A fotografia está tão presente hoje na vida das pessoas, mas enfrenta distanciamento quando se manifesta artisticamente

 

Podemos considerar a fotografia como o meio mais perfeito para gravar e reproduzir manifestações, sejam elas culturais, políticas, educacionais, comerciais entre outros objetivos.

A fotografia é a responsável pelo surgimento do cinema e da televisão. No século XVI, o gênio Leonardo da Vinci, já conseguiu descobrir o princípio básico da câmera escura, onde uma luz é refletida por um objeto e projeta fielmente sua imagem dentro de uma câmera escura a partir de apenas um orifício para a entrada da luz. Foi a partir daí que cientistas desenvolveram equipamentos mais “desenvolvidos” ao longo das décadas seguintes até chegar a esse botãozinho simples que a gente aperta e pronto, guarda aquele momento para sempre.

 

câmera fotográfica antiga

 

A fotografia está na vida de todo mundo, desde que surgiu. Não há uma pessoa que não tenha se encantado por uma foto uma vez na vida. E é quase impossível imaginar nos dias de hoje uma pessoa ou sociedade que não tenha sido fotografada.

Assim que a fotografia foi inventada, principiou a mudar a história do mundo, proporcionando a todos um instrumento importante na busca da própria identidade. É através da fotografia que captamos uma cena, um "flagra" do que acontece, momento este único, que jamais se repetirá. A foto nada mais é do que a testemunha ocular do fato, é a existência contida na imagem comprovando o que realmente ocorreu naquele instante.

 

É através do ato de fotografar (registro fotográfico) que proporcionamos comunicação, revelando milhares de possibilidades de interpretações, mesmo sendo sobre um momento congelado e guardado para todo o sempre.

Apesar de estarmos tão familiarizados com a imagem capturada, a maioria das pessoas não tem o hábito de parar para olhar a foto. Para analisar seu contexto, a narrativa que ela quer contar. Como manifestação artística, parece que existem ainda barreiras para que se consuma a arte fotográfica com naturalidade.

Eventos de fotografia são de extrema importância para a saúde cultural de uma sociedade. Há uma expansão de sentidos quando cada um se permite parar para olhar de fato, a foto.

No entanto, muitos festivais, feiras e eventos de fotografia no geral acabam por atrair um público muito específico, mesmo tendo a potencialidade de abranger mais pessoas.

Por isso se torna tão importante termos mais e mais eventos de fotografia, sobretudo se forem gratuitos, como é o caso da SP-ARTE/foto que acontece há mais de 10 anos todo o mês de Agosto.

Luciana Magno
Luciana Magno

Apesar estar concentrado no shopping JK Iguatemi, um lugar cujo frequentador é a elite paulistana, ele está aberto a visitação de todos, e além disso, o evento agrega várias galerias pela cidade que aproveitam a semana para expor trabalhos de diferentes fotógrafos de várias partes do Brasil e do mundo. O SP-Foto é um desses eventos que acaba colocando a arte fotográfica acessível à população, sem custo algum, trazendo consigo cultura e arte, que leva o público para novos horizontes e  inspira para novas oportunidades.

A edição de 2019 está imperdível, colocando os frequentadores em contato com trabalhos de artistas importantíssimos da cena fotográfica como Francesca Woodman, Martin Parr, Miguel Rio Branco, Antoni Abad, Sebastião Salgado, José Manuel Ballester, Ana Maria Tavares, entre tantos outros.

Pachi Santiago

Além das exposições, dentro da programação é possível participar de bate-papo, ateliê aberto e visitas guiadas.

É válido lembrar que durante todo o ano, várias cidades do Brasil acolhem as mais diversas iniciativas de fotografia, como Paraty em Foco, Festival de Fotografia de Tiradentes, Solar Foto Festival, Brasilia Photo Show, dentre outros. Mas só os organizadores sabem as “duras penas” em se realizar o evento. Sempre há insegurança quanto ao financiamento, aos parceiros e o prestígio do público.

De qualquer forma, nós do elpulpo, estamos sempre torcendo para que cada vez mais tenham eventos de fotografia pelo Brasil e claro, pelo mundo, pois quanto mais trouxermos a fotografia à tona, ao debate, às ruas, enfim, às pessoas, mais elas irão sentir que a arte é um alimento que a alma necessita, e sim, com muita frequência.

 

elpulpo